Fotografia Literária

 

Idéia interessante? Bom, já que cita a palavra fotografia sob um significado um tanto quanto diferente resolvi participar. Na verdade eu fui desafiada no blog mmplanet.wordpress.com.

Droga, odeio desafios, topo todos rss…

Essa história de fotografia literária surgiu de um dos meus amigos e blogueiros e que, conforme as próprias palavras, explicou:
“É o que o nome diz mesmo, com palavras tirar uma foto de sua vida, não é um tratado, um filme ou documento, uma fotografia, daquelas que transmitem as sensações, cheiros e aflições com apenas um frame. Na versão literal passamos isso por texto, falando num panorama geral, o que achamos da nossa vida nesse momento.”

Para mim o desafio é dentre tantas emoções, passar a sensação de apenas um momento. Mas talvez eu possa generalizar expressando da forma mais natural para mim:

Respiro Sonhos… Inspiro Lembranças. Minhas confissões saem em forma de lágrimas, as vezes de tristeza, as vezes de felicidade. Minha boca se cala e meus olhos só vêem o que quero… o  meu mundo, o que eu respiro…o de sonhos.

Anúncios

Portfólio FLORES

Portas

Adoro portas, elas me fazem pensar para onde posso ir e o mais interessante… quem já a usou… Quanto mais alta, imponente e velha mais a imaginação flui…

Noite de Outubro

Noite de Outubro, 1:30 da manhã, acordo no meio da noite e percebo que deixei a janela aberta. Isso me levou a um pequeno momento de insônia. Ao olhar para fora notei que a lua estava “gritante” e pedia para ser fotografada: “por favor, por favor, tire minha foto!!”. O que posso fazer ? ela pediu !!! Lá vou eu pegar todos os equipamentos ….

A noite estava quente e por mais incrível que possa parecer, eu ouvi em alguns longos intervalos o som do silêncio. Em São Paulo isso é meio raro… sempre há aquele carrinho chato passando… Bom, voltando ao assunto, a noite estava linda e agradável, passei algum tempo no escuro vigiando a lua. Otima sensação. Noite agradável. Adoro quando ela aparece…

Ah! que saudades das amigas….

Ah, Que saudades das amigas

Reunidas … falando da vida…

Ah, é o tempo ….o  que não volta e o que ninguém tem mais

É…hoje só  amizades virtuais…

Ah, que saudade das amigas..

Flor sem nome

Quem não gosta de Flores? Que atire a primeira pedra quem nunca se encantou quando se deparou com uma bem diferente… e que diminuiu os passos, que tirou uma foto, que esticou o pescoço, que foi ver se tinha cheiro.. Cidades querem ser notadas por seus arranjos e as mais vaidosas lembradas por seu cultivo.

Ter uma flor é sentir-se próximo a natureza na sua forma mais sedutora.. Mas eu me contentaria em apenas saber o nome dessa….

Porque cor tem cor?

Hoje eu quero falar um pouco sobre cores. É um assunto que nos cerca desde sempre, e por vezes, não é compreendido na sua complexidade porque envolve a Química e a Física que muitos podem não ter afinidade.

É algo que gosto bastante, mas que darei apenas uma idéia sobre o tema. Tentarei isso de uma forma prática.  

Na Física o conceito de luz é que é um comprimento de onda eletromagnética. (ver texto A luz aos nossos olhos) Logo, cada cor tem um comprimento exato de onda, reflete, o cérebro converte e lê o que vemos.

Mas como acontece o fenômeno da cor… como a cor tem cor?

Quimicamente falando, cada “coisa” tem sua cor por culpa da estrutura da superfície onde reflete a luz. Um exemplo, o melhor seria uma folha verde. O que compõe a folha (dentre outros) são um monte de estruturadas moleculinhas de clorofila.

Agora pensando em uma única moléculinha de clorofila, microscópica (veja, na realidade nem sei qual o formato exato de uma molécula de clorofila), mas vamos imaginar que ela seja como uma bola de Golf. Os relevos dessa bola ou esfera seriam características da uma clorofila. Então, a luz chega à superfície dessa esfera e é absorvida conforme o desenho dela. Para essa molécula a luz do sol serve como energia na etapa da fotossíntese. Desses raios de luzes todos são absorvidos, exceto o comprimento de luz do verde… o qual ela não consegue “digerir”. Por isso, o verde é refletido aos olhos do observador.

Algumas coisas são coloridas artificialmente com pigmentos – esses que já contém os cristais em um determinado formato (face e ângulo) – de maneira que ela irá refletir a cor em questão.

Então, entra a colorimetria com algumas regras para não fazermos interpretações errôneas sobre o que supostamente vemos. Em outra oportunidade quero falar da interferência e importância dessas cores na fotografia.

Fotos azuladas, avermelhadas, cores frias, cores quente, tudo esta interligado. E o que se deve ter desde já em mente é que na fotografia os conceitos de cores quente e frias são diferentes quando relacionamos sensação e temperatura. A luz azul é termicamente mais quente que a luz amarelada ou avermelhada.

Mas o que adianto é que a luz do ambiente onde vamos fotografar interfere no resultado da foto e conhecer a idéia de colorimetria pode ajudar bastante no resultado final da foto que você deseja.